29
Mar 08
Estou a rever/re-ouvir o meu "recitador" de eleição - Mário Viegas!
Que saudades! Ele que me fez gostar/amar ainda mais a bela poesia!
Ele que nos faz sentir a poesia com o seu talento de intérprete sentido.
Sendo um admirador do grande João Villaret, Mário Viegas deu-me uma outra dimensão da arte de dizer.
Quando ele recita:
"Por isso eram teus olhos misericordiosos,
por isso era teu coração cheio de piedade,
piedade pelos homens que não precisam de sofrer, homens ditosos
a quem Deus dispensou de buscar a verdade."
Sente-se aqui todo o poder, a força, dos versos únicos de António Gedeão no "Poema para Galileu".
Por via disso, não nos podemos admirar das palavras de Vinícius de Morais - "Achei-a terrificante!" - ao ouvir Viegas dizendo de forma magistral o seu poema "Sob o Trópico do Câncer":
"Sai, Câncer
Desaparece, parte, sai do mundo
Volta à galáxia onde fermentam
Os íncubos da vida, de que és
a forma inversa."
Que seria da vida sem estes pequenos/grandes momentos?!
Obrigado, Mário!
Obrigado, Vinícius !
Obrigado, Gedeão!
Obrigado, amigos!
publicado por velhoscotaseafins às 18:20
sinto-me: Muito "cool!" (dizem os netos)
música: Mário Viegas dizendo "Poema para Galileu"

21
Mar 08

????????????!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Então e agora como vai ser?

Ficamos a assobiar para o alto?

Fingimos que não vimos nada?

Por quanto tempo mais vamos aturar isto?

É preciso ir armado para as salas de aula?

Protecção Policial?

Quantos professores vão agora para a rua?

100.000/200.000?

Se forem todos,eu também vou?

Promessa de um velho indignado!!!

 

publicado por velhoscotaseafins às 18:31
sinto-me: Tristissimo
música: Marcha fúnebre

Ontem à noite num instante fiquei banzado, mas logo a seguir a vózinha estridente da minha tia Micas me assoprou ao ouvido esquerdo: "estamos lixados com estes gajos!"

Estamos pois!

A figura no pequeno ecrã era a de um "betinho vulgaris", parece com "alto cargo" ali para os lados de Gaia (carago!). Oculinhos assim como que... bem deixa para lá!

Apanhado a alta velocidade pela BT, desculpava-se:

1. Culpa o motorista ( - Sabe eu e F., nem demos pela velocidade, iamos a despachar, etc e tal...)

(a minha Tia Micas: Pois! Alguém ia acreditar que o beto ia a jogar à bisca-lambida com o parceiro?!...)

2. Critica a GNR e os jornalistas que acompanhavam a operação

(a minha Tia Micas: 'Tá-se mesmo a ver! Ia lá faltar uma coisa dessas. Desde o dia em que o "Bochechas" mandou o PSP para casa aos gritos, nunca mais tivemos o minimo respeito pelas autoridades. Depois a malta queixa-se que eles às vezes não querem saber e fazem-se distraídos!...)

E são estes tipos que mandam nisto!

Estamos bem entregues!

Até quando, óTitia?

Huuuuuuuuuuummmmmmmmm!

publicado por velhoscotaseafins às 18:03
sinto-me: abismado
música: uma estridente marcha militar

19
Mar 08

Que dia!

Logo ao acordar uma surpreza:

- Quim, choveu toda a noite!

- Choveu???!!!

Não dei por nada! Nem um sonzito! Um rumor! Um acorde! Um murmúrio!

Um desastre! E eu que desde pequeno adoroooooo(!) ouvir o som da chuva no telhado, a correr no algeroz, a fustigar as folhas das árvores!

(muito pequeno acordava a meio da noite fascinado com o som da chuva no telhado de zinco de minha casa sobre a baía de Lourenço Marques!)

E agora nada!

Dormindo sobre a "esquerda" desapareço deste mundo. Emigro para o Além!

Vou pastar para as pradarias do Manitu (o Paraíso dos Indios da minha infância, para onde quero emigrar quando me passar desta para melhor)!

Que seca! Que noite!

Tenho de aprender a dormir de papo-para-o-ar ou sobre a "direita"!

Que dia(!) a cismar com o som da chuva que perdi durante a noite!

publicado por velhoscotaseafins às 22:39
sinto-me: chato
música: Serenata à chuva

16
Mar 08

Ao blogar o último post dei por mim a pensar  na questão intricada que é esta janela aberta.

Acaba por ser tudo muito tu -cá-tu-lá com a nossa consciência.

Mesmo quando se julga que estamos/somos muito fechados, muito senhores do nosso íntimo.

Mesmo sem as apresentações formais - quando as há elas serão sempre muito incompletas ! - elas ficam sempre registadas naquilo que escrevemos, no que apresentamos, no que comentámos...

Pois é! Janela escancarada...

Relendo "A história de Murasaki" aí está em pequenos, belos "haikus"

todo um ser em toda a sua força espiritual. A partir desses espantosos poemas Lisa Dalby estende a história de Murasaki por cerca de cinco centenas de páginas... Uma vida aí exposta!

Espreitem só este:

"Mil fios de cabelo preto, emaranhado - como eles estão os meus pensamentos, confusos e enredados"

publicado por velhoscotaseafins às 19:33
sinto-me: na tarde de domingo
música: só o som da brisa na buganvília

15
Mar 08
Mas afinal quem é este gajo? (Parte II)
Vamos acabar com isto que se faz tarde!...
Nasceu a Norte, em Vila pesqueira que não conhece mas que dizem ser linda, de bom peixe (que adora!) e de lindas mulheres (idem, aspas, aspas!).
 Foi um nascimento de BI porque nem família, nem recordações, o ligam ao local.
Ao tempo, um gajo de fraca figura (boche), de ridículo bigodinho, punha a “toque-de-panzer” todos os europeus a marchar em passo-de-ganso! Mau como as cobras este (en)cantador do “uber alles”!
Era o mês “caranguejo”!
(Diria antes “sapateira” que é mais bichinho daquelas águas!)
Cedo emigrou para praias orientais do Índico (daí a tez morena de que já falou).
Ficou apaixonado até hoje! Até sempre!
Trinta anos depois, de regresso à terrinha, mourejou até conseguir ser adoptado pela bela lacobriga e arredores. Sorte a sua!
Deixou com mágoa um grande amor, mas conseguiu outro amor.
(como não houve divórcio pensa que está a viver em pecado mortal: Deuses, sou bígamo (!), amo duas terras com igual ternura – as belas praias algarvias, as belas praias moçambicanas!)
Amigo do amigo! Amigo do amigo do amigo!
(Mas atenção que amigos (dos bons) são poucos!)
Adora os velhos amigos. Daqueles em companhia dos quais “frutou” mangas, maçalas, papaias, bananas... cocos! Futebulou em tardes imensas. Praiou dias a fio.
(E outra bela “fruta” ronga, swaili, shona… que não vem agora para o caso porque a senhora cá da casa está sempre alerta… e há pecados (?) antigos de difícil explicação…).
Também andou caçando “bifas” nos areais da Polana (com elas “jivou” na Boite do Peter’s em noites de Rock, melena caída para atesta oleosa, cigarro malandro ao canto da boca – como nos filmes de terceira categoria made in USA).
(Amigos do peito, são todos aqueles que nos acompanharam na infância e juventude, nos prazeres e desprazeres da vida!)
Senhor de fúrias súbitas que depressa arrefecem (como todas as fúrias súbitas).
Também depressa dá a mão à palmatória quando a asneira aparece dolorosa.
Gargalhada fácil, sonora, por vezes agressora! E, por isso, lágrima chata, também fácil, em casamentos, baptizados e celebrações afins. Em filmes também (tenta por todos meios conter os soluços).
(Dizem: Homem não chora!... Não chora uma porra!)
Por via disso (do choro às vezes convulsivo), agora só apetece comédias e cobóiadas!
Gosta de música. Toda. Com especial inclinação para os bons portugas (felizmente, são tantos… depois falamos nisso), brasucas sambistas (o Roberto Carlos também faz parte da colecção), jazz (do velhinho), ópera todinha, clássica também. Rock, o primevo. Os Blues o encantam.
Ama o Teatro (com um fraquinho especial pelos grandes nomes portugueses: Mário Viegas, Rui de Carvalho, Eunice Muñoz, Raul Solnado
Gosta de filmes. Bons. Daqueles que aquando do “The End” dá para ficar na penumbra da sala com um gostinho enorme cá dentro. Filmes sem pancadarias inúteis.
(Mas curte uma boa coboiada! Ah! O Clint!)
E tem boas lembranças das comédias italianas como já não se fazem hoje em dia. Policiais franceses que desaparecerem dos ecrãs portugas.
(Quanta boa filmografia europeia desapareceu dos nossos ecrãs?)
É leitor compulsivo.
(até a literatura médica que acompanha os medicamentos serve…)
De Desporto o que vier. De preferência: basquete, atletismo e patinagem (a eleita).
(futebol na TV, sem comentadores e ruído de fundo – só o som de uma boa ópera conforme o jogo e a disposição de momento…)
Adora o quintal e respectiva churrasqueira onde reúne com filhos, netos e amigos. Que melhor há na vida que os bons tempos passados aí à volta com o peixe grelhado, as saladas, o bom vinho, as belas febras, o frango à zambeziana, as larachas dos amigos, as recordações do antigamente, o diz-que-diz bem lusitano, a boa anedota? As nossas belas e luminosas tardes algarvias a prolongarem-se noite-a-dentro! E a malta a jiboiar mansamente!
Detesta funerais e velórios.
(e outras cenas tristes, aliás já falamos nisso….)
Promete assumir só um (o obrigatório!), que gostaria se transformasse numa festa de arromba (vide, Baía de Todos os Santos ou Luanda). Com comes e bebes durante dias (uma churrascada à maneira, com muito tinto/branco/palhete) e muita música ao estilo de Nova Orleães, à ida e à vinda da viagem definitiva (se possível, jazz e/ou samba) para a urbanização do eterno repouso (ali para os lados do bairro da Abrótea).
E de morte estamos conversados.
Com música sim… mas quanto mais tarde melhor!
publicado por velhoscotaseafins às 18:55
sinto-me: Bem com toda a gente
música: Ninguém merece do Zeca Pagodinho

14
Mar 08
Perfil
Mas afinal quem é este gajo?
Pois então vamos lá tentar uma apresentação aproximada da figura que o gajo faz!
Fisicamente e a traços largos:
Astigmático desde tenra idade – por isso “caixa-d’óculos” para companheiros, amigos ou não.
Esquerdino de audição - isto por via de cirurgião amigo (?!).
Quase ambidestro por ambição e força anímica.
(Bem se esforça ele!)
Baixo para Europeu do Norte, assim-assim para português-suave – um metro e… bom(!).
(aqui começa um problema de educação paterna! Ele, o Pai, com o seu olhinho-azul-marinho-maroto dizia: Meu filho! Frente às senhoras nunca digas o dito-cujo número assim de chofre. Pensa. Conta: sessenta e sete, sessenta e oito, sessenta e oito “A”, setenta……
E esta verdade acompanhou-o desde tenra idade )
Paizinho dixit: tem um metro e sessenta e oito “A” centímetros!
Cabelo ainda preto com tendências para o caracol, quando comprido, o que agora o irrita! (no tempo do Elvis também usou a célebre poupa - mais uma vez, o Paizinho disse um dia ao almoço, já chateado com aquela aventura capilar que ficava mal lá no bairro do “esquerdo-direito-um-dois”, puxando da cartilha de militar-da-tropa: logo à noite quero esse cabelo cortado se não quem to corta sou eu!)
(Está claro que o jovem rebelde, por via do Elvis, não esteve com meias medidas… e lá se foi a poupa á força das tesouradas do Baeta do Malhanga!)
(Bons tempos aqueles em que mandava quem podia e obedecia quem devia!)
(Ou era ao contrário? Se baralhei, peço perdão!).
Ainda falando sobre o cabelo, todos os amigos (de idade comum) o chateiam:
- Oh! Quim! Onde arranjaste essa “tinta” que tão bem disfarça as brancas?
Explicação fácil mas de difícil acreditação: A Mãezinha! Com a provecta idade de 87 ainda conserva uma bela cabeleira com mais pretos (cabelos) que alguns brancos (cabelos). Deve ser dos genes!
(portanto, está na moda… hoje em dia é genes para cá e genes para lá!).
Moreno, por via de muita praia, que chegou a ser de 365 dias em ano não bissexto.
Olhinho castanho claro!
(Bem queria o olhinho-azul do Pai, mas nisso e, noutras coisas mais, saíu à Mãezinha!).
Deitado ressona. De pé… ainda não!...
(desculpa-se com problemas de respiração… problemas que não tem! Ressona como ressonam os cotas! Especialmente quando “amandam” com uns copos a mais)
 
(“apresentação do gajo” a continuar)
publicado por velhoscotaseafins às 20:14
sinto-me: porreiro!!!
música: "O bacalhau quer alho" do Quim Barreiro

10
Mar 08

Assim, Quim, não vais longe!

Estive a reler o que escrevi e não gostei.

Tem uma data de erros (agora tenho o Prontuário à mão) e algumas das frases estão assim como que... carcomidas(!).

O pessoal que leu e respondeu é no mínimo HEROICO e sabe ler nas entrelinhas de um "português" que tem de ser reciclado...

Já estava a precisar disto (de escrever) com autocritica (para reler com atenção) e de tudo o mais que se prende com uma escrita decente.

Eu sabia que a aventura da Net me ia fazer bem, mas não tão rapidamente:

Para já, comecei por encontrar um "Povo" altamente (como dizem os meus netos). Lí coisas engraçadissimas. Com substancia. Malta alegre! Um sem fim de abordagens desta vidinha que nos persegue.

Tinha(tenho) a ideia (por mim falo) que somos um povinho triste e sem graça.

O nosso humor, muitas vezes, limita-se ao palavrão e/ou sexo (não digo que um porra ou carvalhada não fique bem dentro de certos contextos - o que eu dava para ouvir, um dia destes, aqueles senhores muito compenetrados da AR, perderem a compostura e pronunciarem do alto de toda aquela "pamporra" uma sonora "carvalhada"!). Enfim, coisas de um espirito muito "estrambótico"... (ah! palavrinha linda)(com esta vs. não contavam - toca a puxar pelo tira-teimas).

Mas, não!, encontrei/encontro muita gente gira! Com um sentido de humor que me apraz!

E para terminar este diz-que-diz, um poema lindoooooooo! de um muito querido poeta moçambicano "Rui de Noronha":

À tarde

Não sei o que há de indefinivel, vago,

Na morna luz da tarde,

Que nos envolve de um etéreo afago

E como que nos arde.

De nós então parece que se evola

Um fumo de ansiedade

Que tímido cantando ascende e rola

Em busca da Verdade...

(publicado em Novembro de 1936, em LM)

Inté!

publicado por velhoscotaseafins às 19:48
sinto-me:
música: Gaivota de Carlos do Carmo

09
Mar 08

No outro dia, frente ao espelho, depois de noite mal dormida, surpreendi-me: Porra! Quim! Está a ficar velho!...

Distraí-me com a boa vida?! E não tinha dado por nada!

Com o convivio da boa malta do Clube, nem me apercebi como os anos passam depressa e vão deixando marcas!

Depois, tem destas coisas, ninguém te diz assim, cruamente, como o espelho de manhã cedo, como vais ficando  - como dizer sem me ofender? - ESTRAGADO!

Está claro, que isto foi "sol ensombrado" de pouca dura.

A caminho da cidade, com a luminosidade de Lagos em cheio no espírito, tudo se aclarou (também, já não estava perante o espelho!)! Meu! Tens que dar uma volta por cima! O que passou, passou! Toca em frente! Que só tens esta vida para gozar e da outra ainda ninguém te veio dar notícia! Pelo menos, ningém da minha família!

Tratei, durante a manhã, de arranjar um espirito mais possitivo e falei com a minha mais nova: Tati! Pensei num "blog"para pôr as minhas "coisas" por escrito. Pode ser com a ajuda de outros cotas as "coisas" se componham!

E cá estou eu, neste blá-blá, a tentar iniciar esta aventura que nunca se sabe no que vai dar.

Aqui em"Velhos, Cotas & Afins" vamos poder falar das nossas coisas em comum (temos muitas coisas em comum para expor).

Por exemplo, uma coisa que me aflige: a melhor posição do "kamasutra" para o pessoal que sofre de hérnias discais?

Por exemplo!

Mas haverá concerteza outros assuntos muito mais elevados (por exemplo, na vertical) para conversarmos!

Tá-Tá!

 

publicado por velhoscotaseafins às 16:55
sinto-me: Mais ou menos!

Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
12
13

17
18
20
22

23
24
25
26
27
28

30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
Os Afins
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO